Tráfego no Canal de Suez é retomado após desencalhe de navio

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp

Pelo menos 400 embarcações aguardam para transitar pelo canal, incluindo dezenas de navios porta-contêineres, graneleiros, petroleiros e navios de gás natural liquefeito (GNL)

Fonte: MoneyTimes
Publicado em: 29/03/2021 – 15:12 – Por Reuters

O Canal de Suez, no Egito, será reaberto para o tráfego de navios em ambas as direções na noite desta segunda-feira, após o desencalhe de uma enorme embarcação porta-contêineres que bloqueava a importante via marítima há quase uma semana, com mais de 400 navios aguardando para cruzar a rota.

O presidente da Autoridade do Canal de Suez (SCA, na sigla em inglês), Osama Rabie, disse que o canal já está navegável após o navio Ever Given, com 400 metros de comprimento, ter sido desencalhado mais cedo nesta segunda-feira, sem danos.

“O navio foi liberado intacto e não tem problemas. Nós acabamos de conferir o fundo e o solo do Canal de Suez e, felizmente, parece estar sólido e não possuir problemas. Os navios vão avançar por ele hoje”, disse Rabie à TV Nilo.

O Ever Given ficou encalhado diagonalmente em um setor do sul do canal devido a ventos fortes na manhã da última terça-feira, interrompendo a passagem na mais curta rota de navegação entre Europa e Ásia

A autoridade informou às agências marítimas que comboios de navios retomarão o fluxo em ambas as direções do canal a partir das 19h (horário local), disseram dois agentes à Reuters .

Imagens ao vivo transmitidas por um canal de TV local mostraram o navio, cercado por rebocadores, movendo-se lentamente no centro do canal na tarde desta segunda-feira. A emissora, ExtraNews, disse que o navio avançava a uma velocidade de 1,5 nó.

Depois de trabalhos de dragagem e escavação que se estenderam ao longo do final de semana, agentes de resgate da SCA e uma equipe da empresa holandesa Smit Salvage tiveram sucesso em liberar parcialmente o navio ainda no início desta segunda-feira.

“A pressão para concluir essa operação rapidamente era evidente e sem precedentes”, disse Peter Berdowski, CEO da Boskalis –proprietária da Smit Savage–, após o navio ser desencalhado.

A Evergreen Line, que afreta o Ever Given, confirmou que o navio foi liberado com sucesso, afirmando que a embarcação será reposicionada em um lago localizado entre duas seções do canal e inspecionado para averiguação de sua navegabilidade.

A Bernhard Schulte Shipmanagement (BSM), responsável técnica pelo navio porta-contêineres, disse que não há relatos de poluição ou danos à carga.

Fila.

A SCA disse mais cedo que poderia acelerar a passagem de comboios pelo canal assim que o Ever Given fosse liberado. “Não desperdiçaremos um segundo”, disse Rabie à televisão estatal do Egito.

Canal de Suez
 (Imagem: REUTERS/Mohamed Abd El Ghany)

Segundo ele, podem ser necessários até três dias para liberação do acúmulo de navios gerado pelo encalhe. Mas o grupo do setor de transporte marítimo Maersk disse que o efeito em cascata da interrupção nas remessas globais pode perdurar por semanas ou meses.

O presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, que não havia comentado sobre o bloqueio em público, disse que o país pôs fim à crise e garantiu a retomada do comércio através do canal.

Comunicado: As publicações encontradas no site Blackcomex – www.blackcomex.com.br/noticias são de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou na integra. A nossa missão é manter informado aqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com o setor aduaneiro e logístico em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor, tampouco reflete, necessariamente, a nossa opinião.

Sobre os Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais do nosso site, são republicações (clipping) e pautas recebidas e públicas de forma total ou parcial com a citação das fontes, como respeito mencionados seus devidos créditos e/ou os seus links seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
A não citação da fonte poderá implicar em medidas judiciais de acordo com a lei de direitos autorais conforme a lei 9610/98.